Colégio Estadual José Ludovico de Almeida

Avaliação

 CONCEPÇÃO DE   AVALIAÇÃO

“Avaliação deve ser entendida como parte do processo de ensino-aprendizagem esclarecendo sobre o que o aluno aprendeu e o que ainda não aprendeu” (MENDES).

 O termo avaliar tem sido constantemente associado a expressões como: fazer prova, fazer exame, atribuir nota, repetir ou passar de ano. Esta associação, tão freqüente em nossas escolas, é resultante de uma concepção pedagógica arcaica, mas tradicionalmente dominante. Nela, a educação é concebida como mera transmissão e memorização de informações prontas e o aluno é visto como um ser passivo e repetitivo. Em conseqüência, a avaliação se restringe a medir a quantidade de informações retidas. Nessa abordagem, em que educar se confunde com informar, a avaliação assume um caráter seletivo e competitivo.

O conceito de avaliação da aprendizagem está ligada a concepção filosófica adotada pelo colégio  e segundo o resultados dos   questionários que apontaram uma concepção pedagógica sócio-interacionista o CESOQ concebe a educação como a vivência de experiências múltiplas e variadas tendo em vista o desenvolvimento  cognitivo, afetivo e social do educando. Na sucessão de experiências vivenciadas, os conteúdos são o instrumento utilizado para ativar e mobilizar os esquemas mentais operatórios de assimilação. Nessa abordagem , o  educando é um ser ativo e dinâmico, que participa da construção de seu próprio conhecimento.

Dentro dessa visão, em que educar é formar e aprender é construir o próprio saber, a avaliação assume dimensões mais abrangentes. Ela não se reduz apenas a atribuir notas. Sua conotação se amplia e se desloca, no sentido de verificar em que medida os alunos estão alcançando os objetivos propostos  para o processo ensino-aprendizagem. Tais objetivos se traduzem em mudança e aquisição de comportamentos cognitivos, afetivos e sociais com caráter diagnóstico, formador e emancipador. Tendo como princípios básicos:

a)      A avaliação é um processo contínuo e sistemático e cumulativo. Não tem um fim em si mesmo não é esporádica ou improvisada;

b)      A avaliação é funcional, porque se realiza em função dos objetivos previstos;

c)      A avaliação é integral, pois considera o aluno como um ser total e integrado e não de forma compartimentada.

No processo avaliativo do CESOQ os aspectos  qualitativos prevalecem sobre o quantitativo. Só será mensurada a parte cognitiva do aluno, ou seja, a sua capacidade de apropriar-se dos conteúdos inerentes à sua idade e série, com efeito cumulativo. As informações do grau atual de aprendizagem do aluno serão consideradas pela sobreposição dos conhecimentos já adquiridos e verificados em avaliações anteriores, assim, seu atual nível de aprendizagem será medido pela junção dos domínios de conhecimentos já mensurados.  As notas bimestrais serão expressa de 0,0(zero) a 10,0(dez) oriundas de avaliações cumulativas, variando em décimos. Não haverá arredondamento de notas.

 Durante o ano letivo, o aluno deve obter em cada componente curricular 4(quatro) notas bimestrais,resultantes das avaliações do aproveitamento escolar. A média anual é obtida somando-se as notas dos 4(quatro) bimestres,e dividindo-se por 4(quatro) o resultado de acordo com a seguinte fórmula:

MA= 1º bim. + 2º bim. + 3º bim. + 4º bim.  

                                             4

Sendo aprovado o aluno que alcançar média igual ou superior a 5. O professor não pode repetir notas sob qualquer pretexto ou qualquer efeito. O aluno que faltar às verificações de aprendizagem predeterminadas pode requerer nova oportunidade, desde que a falta  tenha ocorrido por motivo justo e devidamente comprovada.Os pais ou responsáveis,no caso de alunos com idade inferior a 16(dezesseis) anos, serão cientificados do resultado do aproveitamento e freqüência  do aluno através de boletim escolar, ou equivalente, sem erros e sem rasuras. As faltas do aluno não podem ser abonadas.

No início do período letivo o professor verificará o conhecimento prévio de seus alunos sobre os conteúdos e serem estudados. Essa avaliação tem função diagnóstica e ajudará a detectar o que cada aluno aprendeu ao longo dos períodos anteriores, especificando sua bagagem cognitiva.

O aluno com rendimento insatisfatório, ou seja, que não alcançar os objetivos das aprendizagens propostas, terá acompanhamento especial e individualizado com equipe das áreas de conhecimento, devidamente preparada. Este acompanhamento é a recuperação paralela que será contínua e cumulativa no decorrer do bimestre letivo. No decorrer do bimestre caso o aluno não atinja a apropriação do conteúdo ministrado imediatamente o professor entrará com a intervenção pedagógica necessária para a superação desta deficiência. O colégio organizará mensalmente aulas de recuperação paralela, utilizando a hora atividade do professor em comum acordo com os alunos e pais.

Essa forma de avaliar é denominada avaliação formativa pois sua função é verificar se os objetivos estabelecidos para a aprendizagem forma atingidos. A avaliação formativa pode contribuir para o aperfeiçoamento da ação docente, fornecendo ao professor dados para adequar seus procedimentos de ensino às necessidades da classe. A avaliação formativa pode também ajudar a ação discente, porque oferece ao aluno informações sobre seu progresso na aprendizagem, fazendo-o conhecer seus avanços, bem com suas dificuldades para poder superá-las.

Ao final do ano letivo caso o aluno não atinja a média proposta, o Conselho de classe realizará uma análise global sobre o desenvolvimento do aluno, podendo ou não promovê-los de forma total ou parcial.

A progressão parcial é a passagem do aluno para o ano posterior, com defasagem em alguns conteúdos curriculares em até duas disciplinas. Constitui-se direito de todos os alunos matriculados na Educação Básica e conseqüentemente neste colégio.

A progressão parcial não se vincula aos dias letivos, a caga horária anual, freqüência, mas sim a programas de estudos, podendo ser cumprida em qualquer período do ano letivo.

O colégio proporcionará programa de estudo especial, de acordo com a dificuldade do aluno, viabilizando novas oportunidades de aprendizagem com a finalidade de criar condições para que o aluno supere duas defasagens identificadas pelo Conselho de Classe, pela coordenação e pelos docentes. Os pais ou responsáveis serão informados sobre os conteúdos curriculares em defasagem, bem como os horários a serem cumpridos, freqüência e aproveitamento dos alunos em progressão por meio de reuniões e boletim informativo.

A equipe pedagógica e os professores elaborarão no início do ano letivo, um programa de estudos, ou seja, um planejamento dos conteúdos e defasagem de cada aluno em progressão e o tipo de avaliação que será aplicada. O aluno terá a opção de cumprir esse programa em horários de recuperação paralela, em aulas de contra turno, ou ainda em horários especiais, no decorrer do ano letivo, sendo de comum acordo, entre o colégio, o aluno e responsável os horários estabelecidos.

As áreas afetivas e sociais que compreendem a apropriação de condutas e valores pessoais e grupais, atributos indispensáveis a uma convivência social harmônica são áreas que serão avaliadas cotidianamente, mas não serão mensuradas, elas serão realizadas para contribuir para a formação plena do educando abrangendo os aspectos de: Participação, Presença. Comunicação, Sociabilidade, Iniciativa e Atitudes e Valores.

O aluno que não possuir escolarização anterior tiver perdido sua documentação ou estiver fora do sistema educativo há mais de 02 (dois) anos, e que adquiriu conhecimento ou experiência compatível com aqueles exigidos no ano para o qual estiver pretensão de matricular-se poderá fazer prova de classificação.

A reclassificação também pode ser feita para o caso de posicionamento, ou seja, quando o aluno for oriundo de outra unidade escolar do Brasil ou exterior e for preciso aferir seu grau de desenvolvimento e experiência para seu posicionamento na série de sua competência ou avanço ao longo do ano letivo. No caso de avanço (quando o aluno for dotado de conhecimentos superior ao exigido do ano que cursa) só será realizada em casos excepcionais.

As provas de classificação e reclassificação serão elaboradas, aplicadas, avaliadas e registradas em ata própria por banca examinadora, composta de professores das áreas de conhecimento, nomeada pelo Conselho de Classe que será responsável pela legalidade de todo o processo.

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

%d blogueiros gostam disto: